Como limpar o filtro de partículas

Como limpar o filtro de partículas

Antes de se falar sobre como limpar o filtro de partículas, importa fazer-se referência à importância do mesmo. Assim, tem-se conhecimento que o filtro de partículas se trata de um dispositivo cerâmico que tem como função a retenção das partículas sólidas produzidas pelos motores a diesel, encontrando-se tradicionalmente localizado no tubo de escape do veículo. Ou seja, encontra-se localizado entre a linha de escape dos motores turbodiesel (passando este componente, atualmente, a estar presente em todos os motores a gasolina modernos), por forma a evitar a emissão de partículas nocivas para a atmosfera.

Aliás, as normas europeias impõem aos fabricantes automóveis a instalação de um filtro de partículas (DPF) no sistema de gases de escape dos veículos diesel. Esta imposição tornou-se obrigatória quando a norma europeia Euro 5 entrou em vigor para os veículos produzidos a partir de 2009.

Desta forma, assim que o filtro fique repleto com estas partículas poluentes, tais como óxidos de nitrogénio, e partículas sólidas, cinzas ou benzopirenos, o sistema fica incumbido de efetuar a incineração das mesmas, para que não sejam libertadas para a atmosfera, reduzindo deste modo as emissões poluentes mediante um processo designado como regeneração, permitindo a redução do nível de emissões poluentes.

E dado que se encontra comprovado que estas substâncias poluentes são agentes cancerígenos altamente perigosos, não só o ambiente como a nossa própria saúde agradecem.

Por outro lado, verifica-se que, entre outras situações, que o tipo de condução poderá acelerar a falha ou a avaria do filtro de partículas, contudo o mesmo não deve ser suprimido, mas sim substituído, até porque um filtro de partículas diesel pode remover até 80% das partículas do escape, para além de o desativar ou o remover é uma operação ilegal e prejudicial para o ambiente.

Como funciona o filtro de partículas?

Como funciona o filtro de partículas

O filtro de partículas é formado por uma quantidade significativa de canais paralelos. Metade dos canais possuem a entrada aberta e a saída fechada e inversamente a outra metade, detém a entrada fechada e a saída aberta. Verifica-se a necessidade de os gases precisarem de transpor a parede porosa das galerias para poderem sair do filtro.

De forma à eliminação do carvão, o filtro teria de aquecer até aos 600ºC. De referir que, esta temperatura só pode ser alcançada nos veículos de motor a diesel que estejam munidos com turbocompressor.

Existem fabricantes que usam um aditivo líquido em alguns motores. Este método natural para a exclusão de partículas acumuladas tem a designação de regeneração passiva.

Um outro procedimento através do qual se poderá limpar o filtro de partículas tem a designação regeneração ativa. A mesma força a injeção de combustível adicional nos próprios cilindros mediante um injetor extra que procede ao aquecimento dos gases.

Qual o problema que poderá ocorrer com o filtro de partículas?

O filtro de partículas poderá obstruir condicionando o funcionamento do motor que acabará por ser afetado.

Até porque, nem todas as partículas geradas são carvão, verificando-se assim a presença do enxofre no gasóleo e as pequenas quantidades de metais que são usados em compostos lubrificantes que produzem cinzas resistentes a mais de 1000 graus e que vão conduzindo à obstrução do filtro de forma gradual.

Verifica-se ainda a existência do problema da regeneração ativa falida. Ou seja, isto sucede quando se efetuam trajetos de curta distância não tendo o motor tempo de perdurar a regeneração ativa.

Alerta luminoso: filtro de particulas

Caso sejam descontinuados diversos ciclos consecutivos de regeneração, irá proporcionar o aumento da quantidade de carvão até um ponto crítico e um alerta luminoso que irá avisar o condutor de que deve conduzir e acelerar de maneira a impor a regeneração do filtro. Se o aviso for ignorado, o filtro irá entupir.

Como prevenção deste problema, sendo a acumulação da quantidade de carvão excessiva, o carvão poderá compactar-se e não se queimar por mais que o filtro de partículas fique aquecido, no entanto a regeneração ativa deverá impedir este problema, se bem que, com a regeneração ativa, o consumo de combustível aumenta até 20% em trajetos urbanos.

Assim, para regenerar passivamente o filtro, será suficiente a realização de uma condução a uma velocidade superior a 60 km/h, pelo menos durante 15 minutos.

Contudo, o filtro de partículas acaba por obstruir aos 180.000 a 200.000 Km, estando sujeito ao modelo e à marca do carro a diesel ou do carro a gasolina moderno, ou até mesmo a menos km caso o carro efetue somente percursos urbanos.

Como limpar o filtro de partículas do seu carro

Para a manutenção do filtro de partículas do seu carro deverá ter sempre em consideração a recomendação indicada pelo fabricante.
Poderá obter uma vida ainda mais longa para o seu filtro de partículas até porque alguns filtros utilizam um aditivo que deverá ser recarregado numa oficina.

Por outro lado, deverá evitar trajetos muito curtos consecutivos dado que isso ocasionar que o motor não atinja a temperatura ideal de funcionamento, acabando por entupir o filtro de partículas. Ou seja, procure efetuar igualmente viagens em estrada, trajetos mais longos, de forma a proporcionar que as partículas sólidas acumuladas no filtro sejam limpas, para além da utilização do óleo que é recomendado pelo fabricante.

Assim:

Tratando-se de uma regeneração manual do filtro de partículas que é efetuada enquanto se conduz, procure conduzir durante aproximadamente 15 minutos acima das 2.000 rpm, e caso isso não seja o suficiente, deverá realizar a condução do seu veículo numa autoestrada para que o motor possa operar acima de 2.500 rpm a uma velocidade superior a 70 km/h durante aproximadamente 30 minutos.

Ou seja, quando a capacidade de carga de fuligem no filtro atinge um limite definido, a ECU do carro irá produzir um aumento de injeção de combustível na pós-combustão, aumentando, desta forma, a temperatura dos gases de escape no filtro de partículas, o que ocasiona a regeneração ativa. Assim, são queimadas as partículas de fuligem. Caso o percurso seja muito curto, enquanto a regeneração estiver em processamento, esta poderá não ser concluída e a luz de aviso no painel de instrumentos ficará acesa demonstrando que o filtro está parcialmente bloqueado. Por isso, de forma a completar o ciclo de regeneração e para que a luz de aviso deixe de estar acesa realize uma condução a uma velocidade igual ou superior a 70km/h.

Aditivo para o do filtro de partículas

No que diz respeito à regeneração passiva do filtro de partículas a mesma sucede normalmente nas autoestradas quando a temperatura do escape é elevada, utilizando um aditivo para o do filtro de partículas.

O tipo mais comum do filtro de partículas alojado nos veículos possui um catalisador de oxidação integrado e encontra-se muito perto do motor, onde ainda se encontram quentes os gases de escape. Este calor permite que a regeneração passiva tenha mais hipóteses de ocorrer com maior sucesso.
No entanto, muitos fabricantes escolhem por utilizar uma regeneração ativa dado que muitos condutores não têm por hábito conduzir à velocidade de uma autoestrada, por tempo continuado.

Caso não obtenha resultados com estes métodos, a opção será deslocar-se a uma oficina para que os profissionais possam resolver a questão.

 Existem diversas opções, entre as quais uma regeneração forçada, mas vamos dar uma vista de olhos aos vários métodos que podem ser adotados numa oficina: 
  • Tratamentos térmicos – o filtro de partículas é cortado e imerso num detergente durante duas horas. Efetua-se uma limpeza sob pressão e o filtro volta a ser soldado.
  • Através de ultrassom – imersão do filtro numa máquina de lavar ultrassónica, que mediante vibrações e da alta temperatura atingida pela água, produzem o implodir dos sedimentos.
  • Com aditivos químicos – mediante a variação dos fluxos de água pressurizada, detergentes e produtos especiais, as partículas de fuligem irão ser arrastadas para o exterior do filtro de partículas, ficando o mesmo desobstruído.
  • Como último recurso, a solução alternativa será a troca completa do filtro o que origina a subida de preço.

Como nota: caso não se desloque a uma oficina para verificar o filtro de partículas, o mesmo pode ficar obstruído permanentemente e causar danos ao motor.

[Total: 0   Average: 0/5]