O que é suspensão: definição, função, tipos

O que é suspensão: definição, função, tipos

Sempre que as pessoas consideram o desempenho de um carro, normalmente ocorrem pensamentos como a potência, o torque e aceleração. Mas sabemos que toda a força gerada pelo motor não é útil se o condutor não puder controlar a viatura. Devido a isso, engenheiros automobilísticos tiveram em consideração o sistema de suspensão de um carro e até porque o mesmo é responsável por mitigar os ressaltos que possam existir na estrada o que leva a uma condução muito mais agradável e aprazível.

O que é o sistema de suspensão do automóvel

O sistema de suspensão do automóvel é o responsável para que o equilíbrio seja mantido na estrada bem como o controlo do carro em todas as situações, nomeadamente irregularidades e ressaltos.

Por isso, caso todas as estradas fossem sempre regulares então as suspensões já não seriam essenciais.

De referir que segundo as leis de deslocamento de Newton, todas as forças possuem tanto magnitude como direção, ou seja, o movimento da roda para cima e para baixo depende da ondulação no solo, de forma perpendicular à sua superfície.

Assim, se não existir uma estrutura que intervenha, toda a energia das rodas a nível vertical é transferida para o chassi, que se move na mesma direção. Nessas situações, as rodas podem perder completamente a aderência ao solo. Por isso e sob a força da gravidade, as rodas podem bater no solo. Assim irá precisar de um sistema que irá absorver a energia da roda acelerada verticalmente, permitindo desta forma que o chassi e a carroçaria se permaneçam inalterados.

Por outro lado, e de acordo com uma análise das forças que atuam sobre um carro em circulação a designação é de dinâmica veicular. Muitos especialistas de automóveis consideram a dinâmica de um carro em circulação sob duas características:

  • rodagem – capacidade do carro em passar sobre todas as irregularidades de forma suave
  • comportamento – capacidade do carro em acelerar, travar e curvar com segurança

Essas duas características podem ser vistas sob importantes princípios – isolamento do solo, adesão ao solo e capacidade de curva.

Quais são os componentes da suspensão?

Quais são os componentes da suspensão?

Existem vários tipos de suspensão que se ajustam de formas diferentes aos variados estilos de condução, sendo um kit normal de suspensão composto por vários componentes, entre eles as molas, os braços da suspensão e amortecedores, estes como os principais. Contudo, as suspensões são um sistema bastante mais complicado, e a maior parte delas detêm de igual forma barras estabilizadas, pivôs, bandejas, buchas e bielas.

Quais os tipos de suspensão de carros?

Eixo rígido ou barra de torção

Este tipo de sistema de suspensão é somente usado no eixo traseiro dos automóveis através do qual as duas rodas traseiras estão conectadas por um veio único.

O movimento de uma das rodas irá sempre afetar o movimento da outra, ou seja, se uma roda perder o contacto com o solo, poderá acontecer que a outra roda também perca o seu contacto, e como resultado, fazer com que o controlo do automóvel seja perdido.

Este tipo de suspensão é bastante pesado e como tal aumenta a tara da viatura. Contudo, como é efetivamente barata a sua produção, sendo bastante resistente ao desgaste, é usada principalmente em carros de gamas mais baixas.

Suspensão independente

A suspensão independente, confere que cada uma das rodas se mova de forma individual, fazendo com que não se propague o impacto do ressalto de uma roda para a outra roda do mesmo eixo, proporcionando desta forma uma viagem mais aprazível.

Pode ser utilizada em ambos os eixos, e principalmente nos carros de tração traseira, acabando por ser o tipo de suspensão mais favorável pois ajuda a transmitir a potência da forma mais eficaz para ambas as rodas. Por outro lado, trata-se de um sistema leve, estável e muito confortável, contudo a sua produção é mais dispendiosa e acaba por não permitir ao carro beneficiar o máximo da performance dos seus pneus. É usado principalmente em carros de gamas mais elevadas.

MacPherson

MacPherson

Tendo sido este tipo de suspensão batizado com o nome do criador: Earl S. MacPherson, é um dos tipos de suspensão mais populares e é bastante simples o seu modo de funcionamento. 

É constituído por uma mola, um amortecedor e um braço, servindo a sua parte superior de suporte à carroçaria e a parte inferior suportada pelo triângulo. Dado o menor número de peças, o peso é inferior, e por resultado, possui um bom deslocamento podendo a vibração ser absorvida numa larga extensão. É o tipo de suspensão usado em quase todos os carros de gama média.

Triângulo duplo

Para este tipo de suspensão, as rodas são sustentadas por dois braços: um superior e outro inferior. Estes dois braços usualmente estão dispostos em forma de “V”. 

Consoante a forma dos braços e a tração do carro, este tipo de suspensão permite realizar várias alterações no alinhamento e posição do carro durante a aceleração. A suspensão de triângulo duplo é bastante rígida, e devido às suas capacidades de adaptação, é uma opção muito popular para os carros desportivos. Contudo, a sua construção é bastante complicada o que se espelha no preço dos carros que usam este tipo de suspensão.

Multilink

Sendo um dos melhores tipos de suspensão criados para que tenha o controlo máximo sobre o seu veículo, o sistema multilink é a evolução do sistema de triângulo duplo. Este tipo de suspensão usa entre três a cinco braços para manter a posição do eixo, ao invés dos dois braços usados na suspensão de triângulo duplo.

Dado possuir um maior número de braços, a suspensão adapta-se com maior facilidade e rapidez às irregularidades do piso do solo, garantido desta forma que tenha sempre o máximo de superfície dos pneus em contacto com o solo, o que lhe permite aumentar os níveis de segurança. Este tipo de suspensão é usado na suspensão traseira de carros de tração dianteira de alto desempenho de forma a manter a estabilidade e a alta velocidade, e em carros de tração traseira com muita potência.

[Total: 0   Average: 0/5]