Suspensão a ar: como funciona, manutenção, problemas

Suspensão a ar: como funciona, manutenção, problemas

A principal diferença entre um amortecedor ou amortecedor tradicional é que eles detêm um mecanismo de amortecimento definido para uma certa sensação de controlo de direção, enquanto que um sistema de suspensão a ar utiliza um compressor de ar em combinação com amortecedores a ar e bolsas de ar de suspensão para controlar a sensação do percurso.

Por isso, os proprietários de veículos equipados com suspensão a ar realçam dois benefícios importantes, tais como: melhor conforto e possibilidade de alterar a distância ao solo.

Os sistemas de suspensão a ar conferem um passeio confortável, dado que não só absorvem os solavancos da estrada como apresentam o deslizamento sobre tudo o que encontram, verificando-se que o conforto é de extrema importância, neste caso mais do que o desempenho e a capacidade de resposta do veículo.

O que é a suspensão a ar

O que é a suspensão a ar

Um sistema de suspensão a ar é um estilo de suspensão de veículo alimentado por uma bomba elétrica ou compressor que bombeia ar em foles flexíveis que são normalmente feitos de um tipo de borracha reforçada com tecido.

As suspensões de ar alteraram substancialmente ao longo dos anos, mas operam com a mesma ideia básica. Uma câmara ou bolsa de ar designada mola pneumática que substitui as molas helicoidais e uma série de controlos solenoides que efetuam a gestão do movimento do ar.

Esses controlos de solenoide desempenham uma função semelhante nas suspensões de ar como os de um amortecedor realizam nas suspensões convencionais. Num sistema moderno, poderá encontrar um compressor de ar, linhas de ar, solenoides e airbags instalados para permitir que o ar comprimido circule através de um sistema fechado para fornecer o amortecimento ao veículo.

Os foles pneumáticos substituem completamente as molas convencionais – o carro possui molas helicoidais ou molas pneumáticas. Estas são ligadas a um amortecedor, por isso geralmente encontra-se o termo “amortecedor a ar”.

O peso do carro é sustentado, não em molas de aço ou outro tipo de molas, mas sim no ar comprimido dentro dos foles.

Daí resultar a necessidade de um compressor, um reservatório de ar comprimido e mangueiras de pressão que conduzem o ar do reservatório aos foles individuais, além de sensores de altura.

Esses tipos de suspensões também são mais ajustáveis, tanto em termos de fluxo de ar através do sistema, como na quantidade de pressão de ar no mesmo, o que permite ao condutor a adaptação da sensação do veículo às suas necessidades e conforto.

Tipos e elementos de suspensão a ar

Existem três tipos principais de suspensão a ar: simples, duplo e de quatro circuitos. Pode também verificar-se que a suspensão a ar pode ser incluída no veículo ou pode ser instalada independentemente.

Com a auto instalação, na maioria das vezes, a suspensão pneumática permite apenas que a altura da carroçaria seja alterada através do modo manual.

  • Circuito único – o sistema está instalado somente num eixo do veículo. Pode ser no eixo dianteiro como no traseiro. Neste caso, é possível ajustar a rigidez do eixo traseiro dependendo da carga do veículo.
  • Circuito duplo – o sistema de suspensão a ar pode ser instalado num eixo, ou em ambos. No caso de instalação num eixo, as rodas são controladas de forma independente. Se um sistema de dois ciclos controlar os dois eixos, isso é semelhante a dois sistemas de malha única.
  • Quatro circuitos – o sistema é o mais complexo, mas também o mais funcional. Em tal sistema, o suporte pneumático de cada roda é ajustado. No sistema de quatro circuitos, como regra, é utilizada uma unidade de controle eletrónico que, juntamente com os sensores, ajusta automaticamente a pressão nos elementos pneumáticos.
 A suspensão a ar mais simples possui os seguintes elementos básicos no seu design: 
  • elementos pneumáticos elásticos em cada roda;
  • suprimento de ar comprimido (compressor);
  • recetor de ar;
  • linhas de ar;
  • sensores e suspensão da unidade de controlo.

Como funciona a suspensão a ar

Como funciona a suspensão a ar

No sistema de suspensão a ar as molas de metal são trocadas por molas pneumáticas, cuja composição é constituída por um interior repleto por algum tipo de líquido ou ar puro. As molas pneumáticas acabam por oferecer uma resistência, atuando como as molas de metal e funcionando como o sistema de suspensão do carro. Conjuntamente com os amortecedores, absorvem o impacto das irregularidades das estradas, conferindo maior estabilidade aos carros.

Desta forma, a suspensão a ar permite ajustar a altura da carroçaria no modo manual e automático.

No modo manual, o condutor tem a capacidade de aumentar ou diminuir de forma independente a folga do veículo.

No modo automático, os trabalhos das diferentes suspensões podem variar significativamente. Vale a pena notar que no modo automático, as suspensões são adaptativas e responsáveis ​​por manter certa folga e rigidez dos amortecedores, dependendo de várias condições. Na maioria das vezes, o algoritmo da suspensão pneumática adaptativa usa parâmetros como velocidade, aceleração, inclinação e outros.

Dependendo da velocidade de movimento, da intensidade de aceleração, o sistema ajusta o valor de folga para a melhor aerodinâmica do carro. A suspensão pneumática adaptativa permite minimizar o centro de gravidade do veículo, conseguindo assim um melhor manuseio e aerodinâmica.

Escolha da suspensão a ar

 Apresenta-se aqui algumas alternativas: 
  • Kit completo de suspensão a ar – abrange todo o sistema, envolvendo o compressor, as molas pneumáticas, os amortecedores, o sistema de controlo e distribuição da carga do amortecimento e, de forma complementar, braços oscilantes e outros componentes da suspensão mais resistentes.
  • Sistema dianteiro ou traseiro – pode comprar o sistema de suspensão a ar traseiro ou dianteiro separadamente. É uma opção para quem tem um estilo muito particular de condução ou pretenda personalizar o carro.
  • Sistema de compressão ou controlo de suspensão a ar – pode comprar apenas o compressor e os seus distribuidores de pressão e/ou o sistema de controlo, ou o analógico ou o digital. Perfeito para quem já possui um sistema de suspensão a ar e pretenda atualizá-lo, para além de ser ideal para quem pretenda fazer o “tuning” do carro.
  • Kits de suspensão a ar personalizados – trata-se de kits para usos específicos. Nomeadamente, pode querer deixar o seu carro atual com a dirigibilidade de um carro antigo, ou colocar o seu veículo atual mais elevado.

Importante será a escolha de um sistema de suspensão a ar para o qual tenha assistência técnica autorizada e qualificada, bem como a escolha de uma oficina mecânica de qualidade e que lhe confira a garantia de todo o serviço e peças.

Manutenção da suspensão a ar

Manutenção da suspensão a ar

Os sistemas de suspensão a ar requerem uma quantidade mínima de manutenção que pode ser realizada durante os intervalos de manutenção de rotina.

 Assim, entre outros, poderá: 
  • Verificar as linhas de ar e conexões quanto a vazamentos e / ou atrito na mola de ar.
  • Verificara folga adequada ao redor das molas pneumáticas quando infladas.
  • Periodicamente, verificar a altura adequada da suspensão.
  • Durante a manutenção de rotina do veículo, bloqueie a suspensão e verifique se há desgaste irregular ou acumulação de material na barra flexível. Limpe, se necessário, usando uma solução de limpeza que não seja à base de óleo.
  • Verificar se há acumulação de material nos pistões, uma vez que os resíduos endurecidos no pistão irão reduzir a vida útil da mola e devem ser removidos como parte da manutenção regular.
  • Verificar os amortecedores quanto a sinais de vazamento de fluido hidráulico, conexões de extremidade quebradas, buchas ou cilindros com desgaste.
  • Periodicamente, verificar as porcas e parafusos quanto ao torque adequado. Para esse efeito, consulte o manual do fabricante para recomendações específicas.
  • Verificar a válvula de controlo de altura para ver se está a funcionar corretamente. Limpe ou substitua, se necessário.

Suspensão a ar – Problemas

Suspensão a ar - Problemas

Os problemas gerais de suspensão a ar podem parecer mínimos, mas, na realidade, são uma das principais causas de falha da suspensão. Contudo, existem formas de os evitar.

 Dê uma vista de olhos aos sinais de aviso abaixo referenciados: 
  1. Vazamentos da mola de ar
    Com o passar do tempo, os componentes de borracha dessas peças deterioram-se, originando buracos e rasgos e causando, como tal, vazamento de ar.
    Existindo diversos sinais de aviso de que a suspensão a ar está a sofrer fugas de ar, pode nomeadamente:
    • Experimentar um passeio mais acidentado porque uma mola pneumática danificada não consegue absorver o choque de solavancos na estrada.
    • Pode reparar igualmente que o compressor de ar está constantemente a funcionar, isto porque quando ocorrem fugas, o compressor não deixa de funcionar.
    • Caso ocorra um vazamento nas molas pneumáticas, a altura do veículo cairá ou irá baixar do lado onde se encontra danificada a mola pneumática.
  2. Compressor de ar danificado
    O compressor funciona para manter as molas de ar infladas. Diversas vezes, um compressor apresenta um mau funcionamento dado se encontrar sobrecarregado, o que representa que funciona com mais frequência do que o normal. Isso conduz ao desgaste do mesmo, fazendo com que a peça falhe de forma mais rápida.
    Uma forma de determinar se o seu compressor de ar está com avarias é a verificação da altura do seu veículo. Se o mesmo estiver abaixo do normal, o compressor pode não estar a funcionar corretamente.
    A audição de ruídos provindos da peça significa igualmente problemas do compressor. O rangido ou chiado indicam um problema com o motor ou ventilador.
  3. Humidade excessiva no sistema
    O ar comprimido num sistema de suspensão a ar contém humidade que pode acumular-se e causar danos graves. A humidade excessiva no sistema de suspensão pode resultar em ferrugem e corrosão.
    Verifique se existem danos físicos no sistema de suspensão, como ferrugem, é a maneira mais fácil de determinar se existe muita humidade no ar comprimido. Esse problema pode também afetar as capacidades de nivelamento, o compressor ou o desempenho geral da suspensão.
  4. Como corrigir problemas de suspensão a ar
    A forma mais rápida e fácil de reparar esses problemas da suspensão a ar é reparar o sistema ou substituir as peças assim que se aperceba de qualquer de um dos problemas acima referidos. Isso o ajudará a prevenir a falha completa do sistema.

Suspensão a ar – vantagens e desvantagens

Vantagens

  • Mais conforto do condutor devido à redução do ruído, aspereza e vibração na estrada que podem causar desconforto e fadiga ao condutor
  • Menor desgaste do sistema de suspensão devido à aspereza e vibração reduzidas da direção em serviço pesado
  • A suspensão a ar melhora a altura do passeio com base no peso da carga e na velocidade do veículo
  • Velocidades mais altas em curvas devido à suspensão a ar ser mais adequada à superfície da estrada
  • No caso de transporte de cargas pesadas, a suspensão a ar oferece mais consistência e mantém todas as rodas uniformes. O sistema de suspensão a ar mantém os camiões nivelados de um lado para o outro, especialmente em casos onde a carga é difícil de nivelar. Isso resulta em rolagem reduzida da carroçaria ao contornar cantos e curvas.

Desvantagens

  • Os custos iniciais de compra e instalação de um sistema de suspensão a ar – a suspensão a ar às vezes também pode chegar a três vezes o custo em reparações de um sistema de suspensão.
  • Sobrecarga de combustível para o funcionamento de compressores para, ocasionalmente, bombear ar para a pressão correta.
  • A eficiência do combustível pode sofrer com o peso maior da suspensão a ar em relação ao peso da suspensão.
  • A vulnerabilidade de um sistema de suspensão a ar a fugas de ar pode resultar num mau funcionamento.
  • Algumas das desvantagens dos sistemas de suspensão a ar são devido a alguns dos problemas mecânicos aos quais eles podem ser vulneráveis. Vários dos problemas comuns com sistemas de suspensão a ar que podem exigir reparações, nomeadamente:
  • Danos internos por ferrugem ou humidade que podem fazer com que os amortecedores de ar ou bolsas funcionem mal.
  • Falha do tubo de suspensão a ar que conecta os amortecedores ou bolsas de ar ao sistema de ar.
  • Falha de encaixe de ar resultante de encaixe inicial ou uso infrequente.
  • O compressor falha devido a fugas de ar nas molas ou amortecedores de ar do compressor constantemente engatados para manter a pressão de ar adequada.

Mas, verdade se diga, mesmo com esses problemas mecânicos comuns, os benefícios podem superar as suas desvantagens.

[Total: 0   Average: 0/5]