Como limpar o circuito de refrigeração do motor

Como limpar o circuito de refrigeração do motor

Está na altura de levar a cabo uma manutenção do circuito de refrigeração do motor? Desconfia que o funcionamento do sistema de arrefecimento está comprometido? Leia o que é necessário saber sobre a sua limpeza no artigo abaixo.

O circuito de refrigeração: funcionamento básico e componentes

Motores de combustão interna de automóveis a gasolina e a gasóleo podem alcançar um rendimento energético efetivo na ordem dos 40% a 43% respetivamente. Apenas uma parte da energia química do combustível é convertida em energia mecânica no motor e usada para propulsionar o veículo. Uma parte significativa da energia do combustível é transformada em calor, tratando-se de um subproduto da combustão. Em automóveis modernos o calor de combustão residual é conduzido para fora do motor por meio de um circuito de refrigeração eficiente e regulável. 

O circuito de refrigeração desempenha funções importantes. Problemas neste circuito são um motivo frequente de danos no motor. O aquecimento descontrolado do motor acarreta o risco de sobreaquecimento e de ocorrência de danos severos na sua mecânica, por exemplo, devido a expansão extrema de peças metálicas ou destruição de vedantes. Contudo, o circuito desempenha mais funções além do arrefecimento. Mediante uma termogestão adequada, permite influenciar positivamente a eficiência do consumo de combustível, o nível de emissões, o conforto e a segurança de condução.

Circuitos de refrigeração modernos funcionam por meio de arrefecimento do motor através de um líquido. Durante o processo de combustão, o calor residual produzido nos cilindros é conduzido e irradiado para os restantes componentes adjacentes, para o óleo de motor, para o ar rodeante e para o líquido de arrefecimento que circula dentro de canais contíguos aos cilindros. Este fluido está sujeito a uma convecção forçada, a qual é induzida pela bomba do circuito de arrefecimento. Assim, devido ao seu aquecimento e movimento, o líquido refrigerante transporta o calor para longe do motor.

Sendo o circuito de refrigeração fechado, o líquido circula no seu interior. Flui do motor através dos restantes componentes do sistema para, por fim, regressar ao bloco motor a uma temperatura mais baixa. A descida de temperatura do líquido por meio de dissipação de calor ocorre no radiador. A expansão do líquido, que se deve ao seu aquecimento, é compensada pelo vaso de expansão.

O radiador está desenhado para aumentar a superfície de contacto do volume de líquido que o atravessa. É composto por vários tubos finos e aletas. A sua construção permite uma dissipação eficiente de calor do líquido para o ar. A temperatura do fluido desce. O fluxo de ar que atravessa o radiador advém do movimento do carro ou é gerado por uma ventoinha de acionamento elétrico. A ventoinha permite regular a taxa de dissipação de calor independentemente do movimento do carro.

A termogestão do veículo implica a otimização da gestão de temperatura do motor com o objetivo de mantê-lo à temperatura ideal em qualquer situação de funcionamento, reduzir o consumo de combustível, diminuir as emissões e melhorar o conforto no habitáculo. O grau de sofisticação da termogestão varia entre modelos e pode ou não incluir uma gestão por meio do módulo de comando do motor. Um elemento de termogestão que se encontra na maioria dos automóveis é a válvula termostática.

Este componente garante essencialmente que o motor atinja rapidamente a sua temperatura ideal de funcionamento. Quando a válvula está fechada, o líquido de refrigeração não circula pelo radiador. Então, a taxa de dissipação de calor é baixa e o motor aquece rapidamente. Assim que o motor alcança a temperatura ideal de funcionamento, a válvula abre-se gradualmente. Nesse momento, o líquido de refrigeração circula pelo radiador de arrefecimento e a taxa de dissipação de calor aumenta. O motor é mantido dinamicamente na gama de temperaturas ideais por meio desta regulação. Leia mais sobre o circuito de arrefecimento aqui.

Porque é que se deve fazer a manutenção do sistema de refrigeração?

A revisão do sistema de refrigeração deve ser feita de acordo com os intervalos especificados pelo fabricante automóvel. Apenas assim poderá garantir que este funciona devidamente durante toda a vida útil do veículo. Durante o processo é verificada a função e a estanquidade dos seus componentes.

Sintomas típicos que indicam que este procedimento de manutenção deve ser levado a cabo incluem, por exemplo, uma descida da eficiência do sistema de arrefecimento, uma coloração ferrugenta do líquido de refrigeração ou a presença de partículas estranhas no líquido.

 Uma lavagem do sistema permite: 
  • i Remover depósitos. É habitual a deposição de resíduos. Estes podem advir, por exemplo, devido a enferrujamento de componentes, de uma junta de cabeça danificada (óleo), de uso de aditivos desadequados ou da entrada de partículas estranhas. Uma lavagem permite a sua remoção, o que melhora o desempenho do sistema.
  • i Renovar as propriedades do líquido refrigerante. O uso de líquido novo e adequado assegura que este dispõe das propriedades anticongelantes, anti-ferrugem e de refrigeração requeridas pelo fabricante.

Como limpar o circuito de refrigeração?

Como limpar o circuito de refrigeração?

O procedimento visa escoar o líquido refrigerante usado, lavar o sistema para remover quaisquer depósitos, enchê-lo com líquido novo, bem como verificar a sua estanquidade e função. Dependendo do estado do sistema, pode ser necessário lavá-lo com uma solução de detergente especial ou substituir componentes que possam estar comprometidos. Os líquidos de refrigeração e de lavagem usados devem ser devidamente eliminados para prevenir danos no meio ambiente. 

Em alguns modelos mais recentes, não é possível levar a cabo uma lavagem completa de todos os componentes do sistema devido à sua construção. Nesse caso, pode tornar-se necessário substituir os respetivos componentes. Recomenda-se sempre a substituição da válvula termostática aquando do procedimento.

 Preparação para o procedimento: 
  • Equipamento de proteção individual como luvas e óculos de proteção.
  • Alguidar e depósito de capacidade suficiente para escoar os líquidos usados. O depósito deve permitir um armazenamento e uma eliminação segura dos fluidos.
  • Ferramenta para abrir o bujão de sangramento ou para remover braçadeiras.
  • Líquido de refrigeração em conformidade com as especificações do fabricante e em quantidade suficiente. Líquido não adequado pode levar a deterioração de componentes.
  • Água destilada.
  • Detergente indicado para a lavagem do sistema. Este não deve ser agressivo para os componentes.
  • Ferramentas para a purga de ar e verificação da estanquidade do sistema.
  • Manual do proprietário.

Como sangrar o circuito de refrigeração e lavá-lo

Como sangrar o circuito de refrigeração e lavá-lo
 Preparação para o procedimento: 
  • i Antes de mais, deve esclarecer no manual do proprietário quais as indicações para o procedimento e as especificações necessárias para os fluidos de refrigeração e de lavagem.
  • i Ponha o equipamento de proteção e deixe o sistema arrefecer para evitar queimaduras.
  • i Limpe o radiador com uma escova de cerdas macia ou aspire-o, para que fique livre de sujidade. Pode tornar-se necessário usar um produto de limpeza. Não deve aplicar demasiada força, para não danificar as aletas do componente. A limpeza melhora o fluxo de ar e, consequentemente, a eficiência de dissipação de calor.
  • i Verifique a estanquidade do sistema. Isto é feito por meio de uma bomba de ar manual e de um adaptador para o orifício do vaso de expansão. Se ocorrer uma baixa de pressão no sistema após este ter sido pressurizado, isto indica um vazamento. 
  • i Coloque o alguidar debaixo da abertura de drenagem.
  • i Remova a braçadeira e o tubo na base do radiador ou abra o bujão de sangramento para escoar o fluido. Desenrosque a tampa do vaso de expansão.
  • i Desmonte a válvula termostática.
  • i Volte a fechar o circuito.
  • i Coloque o detergente de lavagem e ateste com água destilada.
  • i Para circular a solução de detergente, deve ligar o motor, deixar que este atinja a temperatura de funcionamento e ligar a chaufagem no nível máximo. Deixe o veículo  ligado durante cerca de 30 minutos. Deixe arrefecer.
  • i Purgue a solução de detergente e repita o procedimento se for necessário.
  • i Repita o procedimento apenas com água destilada para lavar os resíduos da solução de detergente.
  • i Monte uma válvula termostática nova. Substitua a tampa do vaso de expansão.
  • i Ateste com o fluido de arrefecimento indicado.
  • i Purgue as bolhas de ar e verifique a estanquidade. Isto é conseguido por meio de um adaptador para o orifício do vaso de expansão. É ligado um compressor ao adaptador. É gerada uma pressão negativa por meio de uma válvula especial. Isto purga as bolhas de ar. O adaptador permite ligar posteriormente um tubo para sugar líquido de arrefecimento para o sistema. Um manómetro permite verificar a estanquidade.
  • i Verifique o nível de líquido no sistema.
  • i Ligue o carro e verifique o funcionamento do sistema.

Em alternativa ao procedimento descrito acima, há a possibilidade de limpeza do sistema por meio de equipamento especial. Após a ligação do equipamento, são gerados pulsos de pressão que lavam o circuito. Isto é feito em oficinas especializadas.

    O seu perfil é o seu assistente pessoal.

    Permite acompanhar as despesas, registo auto e prazos de substituição, e guardar materiais, notas e documentos favoritos