Fluido de freio moto valor – para que serve

Fluido de freio moto valor – para que serve

A manutenção dos componentes do sistema de travagem é fulcral. Além de uma verificação recorrente do estado e do funcionamento do sistema, é necessário substituir regularmente componentes de desgaste como o fluido dos travões.

O sistema de travagem em motociclos

O sistema de travagem é indispensável para a segurança de condução. Normalmente motociclos dispõem de travões de disco, o sistema é basicamente composto por uma manete e um pedal de travão, cilindros mestres, reservatórios e tubos, pinças, êmbolos, pastilhas e discos de travão, bem como pelo líquido dos travões.

Este sistema permite uma travagem da roda dianteira ou traseira, de modo a que o motociclo possa ser desacelerado seguramente de acordo com diferentes situações de condução. A travagem é induzida por meio do pressionamento da manete ou do pedal do travão. Nesse momento, é exercida pressão sobre um fluido. Essa pressão provoca um deslocamento dos êmbolos nas respetivas pinças do travão, o que provoca contacto e atrito entre as pastilhas e o disco. Sendo o disco solidário com a roda, a travagem do disco implica a travagem da roda adjacente.

Há vários desenvolvimentos que melhoraram o desempenho do sistema de travagem. Destacam-se, por exemplo, o sistema de antibloqueio de rodas (ABS) ou o design de flutuação de discos, o qual assegura uma melhor centragem destes e evita o empenamento dos mesmos. 

A função e as características de fluidos de travões

Este líquido à base de poliglicol é usado em sistemas hidráulicos de travagem. Trata-se de um fluido nocivo para a saúde. A padronização deste componente é feita de acordo com os requisitos mínimos definidos pelo departamento de transportes dos Estados Unidos (DOT). É determinado o ponto de ebulição do líquido, bem como o ponto de ebulição de uma mistura do líquido com 3,5% de água. Além disso, são determinadas as viscosidades a quente (100 ºC) e a frio (-40 ºC).

O líquido dos travões não é compressível e absorve água, isto é, é higroscópico. A higroscopia destes fluidos assegura que a água que entra no sistema de travagem é dissolvida no mesmo, o que previne a formação de gotas. Água acumulada pode provocar corrosão e falhas do sistema. 

A absorção de demasiada água e em particular a formação de gotas no sistema de travagem é problemático. A corrosão de componentes leva a uma deterioração do sistema e é custosa. O congelamento de gotas, por seu lado, pode comprometer o funcionamento do sistema. Além disso, aquando de altas temperaturas a água acumulada no sistema entra em ebulição e forma vapor, o qual é compressível. Nestas circunstâncias, o pressionamento do pedal ou da manete dos travões comprime o vapor de água, em vez de provocar um movimento das pastilhas do travão, não ocorrendo uma travagem. O risco de falha é alto a partir do momento em que o fluido apresenta uma concentração de água acima de cerca de 3%. 

Que requisitos deve o fluido satisfazer?

Que requisitos deve o fluido satisfazer

Deve haver no sistema de travagem uma quantidade suficiente de líquido e este deve estar em boas condições. O seu envelhecimento torna-se evidente através da alteração da sua cor. Quando novo e dependendo do tipo e do fabricante, o líquido apresenta uma cor azul clara, vermelho clara ou creme. O envelhecimento leva a que se torne acinzentado ou mesmo negro. Além disso, a sensação na manete e no pedal pode tornar-se esponjosa com o envelhecimento do fluido, o curso da manete ou do pedal pode aumentar. A concentração de água no líquido pode ser testada por meio de um dispositivo indicado. 

A qualidade e em particular o nível do fluido devem ser verificados regularmente. Isto pode ser feito por meio de uma verificação visual. O indicador do nível apresenta as marcações “MIN” e “MAX”, a tona do fluido deve encontrar-se entre estas. A falta de fluido pode comprometer a travagem, o excesso pode provocar uma travagem indesejada. 

Regra geral, este componente deve ser substituído a cada dois anos. Uma maior frequência de uso do veículo pode tornar necessária uma substituição anual.

Quais os fluidos indicados?

Há diferentes especificações de fluidos dos travões. Em motas é habitual o uso de líquidos da categoria DOT 3 ou DOT 4. Este componente é produzido por uma variedade de fabricantes. A gama de preços vai de cerca de 4 euros por litro até 11 euros por litro. O preço por litro torna-se por norma mais competitivo quando é comprado um volume maior. 

Quais os melhores fluidos de travões?

Destacam-se aqui os líquidos DOT 4 da ATE e da KROON, disponíveis por um valor de cerca de 10,64 €/l e 6,8 €/l respetivamente. O fluido da ATE destaca-se pela sua alta qualidade. Dispõe de aditivos de topo que protegem particularmente o sistema de travagem de corrosão e melhoram a sua durabilidade, superando as exigências legais no que respeita pontos de ebulição e viscosidade. Por seu lado, o líquido da linha KROON DRAULIQUID-S destaca-se pela sua ótima relação qualidade preço. Cumpre com todos os requisitos necessários e está à venda por um preço competitivo.

Como substituir o fluido dos travões em motos?

Como substituir o fluido dos travões em motos

O procedimento abaixo é de cariz geral e deve ser entendido como uma abordagem preliminar. Antes da substituição do líquido recomenda-se uma leitura atenta dos parágrafos relevantes do manual do proprietário do veículo e da ficha técnica do fluido dos travões. Os sistemas de travagem podem ter características diferentes pelo que se recomenda uma familiarização com o sistema antes de se levar a cabo este procedimento. Em caso de dúvida, consulte um mecânico especializado.

 Algumas considerações gerais: 
  • i Não convém misturar líquidos de diferentes especificações. Isto pode levar a um comprometimento da função de travagem.
  • i Derrames de líquido devem ser removidos imediatamente. A substância pode deixar marcas e contaminar o meio ambiente.
  • i A contaminação do sistema com sujidade ou água durante a substituição deve ser evitada. Pode ocorrer um comprometimento da função de travagem.
  • i Convém respeitar os binários de aperto especificados pelo fabricante das válvulas de purga. Caso contrário, poderão ocorrer danos.
  • i Este líquido é nocivo para o meio ambiente e deve ser eliminado devidamente num ponto de recolha certificado.
 A substituição do fluido pode passar pelos seguintes passos: 
  1. Estacionar o veículo num local horizontal e seguro.
  2. Preparar os materiais e as ferramentas necessárias para levar a cabo a substituição.
  3. Colocar equipamento de proteção, como óculos, luvas e uma máscara.
  4. Desenroscar a tampa do reservatório do líquido dos travões.
  5. Extrair o líquido usado por meio de uma bomba.
  6. Limpar o reservatório.
  7. Encher com fluido novo.
  8. Colocar um tubo sobre a válvula de purga junto da manete.
  9. Colocar a outra ponta do tubo num recipiente com líquido dos travões novo, cujo nível se encontre acima da válvula. Manter este nível constantemente acima da válvula.
  10. Adicionar mais líquido novo ao reservatório e tapá-lo com um pano para evitar salpicos.
  11. Pressionar algumas vezes a manete do travão vagarosamente até se sentir resistência.
  12. Abrir um pouco a válvula de purga de ar junto da manete.
  13. Pressionar a manete até ao fim do curso e fechar a válvula.
  14. Soltar a manete com calma, pressioná-la de novo algumas vezes, mantê-la pressionada e abrir e fechar a válvula de purga.
  15. Repetir o procedimento até que apenas saia fluido do tubo.
  16. Depois, repetindo os passos anteriores, convém purgar a tubagem pela válvula de purga que está junto das pinças frontais.
  17. Posteriormente é feito uma purga final através da válvula junto da manete.
  18. A purga do travão traseiro é apenas feita na pinça do travão, posto que habitualmente não há uma válvula de purga junto do pedal do travão.
  19. A substância usada deve ser eliminada devidamente.

Comentar

Your email address will not be published. Required fields are marked *