O que fazer quando a moto não quer pegar

O que fazer quando a moto não quer pegar

Os motores de combustão interna caracterizam-se por extraírem a sua energia da queima de combustível. O princípio básico de funcionamento requer que uma determinada quantidade de carburante seja misturada com ar e que ocorra uma compressão e queima posterior dessa mistura.

 Tendo isto em conta, é possível determinar cinco sistemas cuja função pode estar comprometida quando a moto não liga: 
  • i O sistema de ignição.
  • i O sistema de arranque.
  • i O sistema de alimentação de combustível.
  • i O sistema de admissão de ar.
  • i O sistema motor.

Resolver o problema pode passar por uma averiguação e reparação dos componentes comprometidos. Obviamente, convém respeitar sempre as recomendações dadas no manual do proprietário ou de reparação do veículo, usar equipamento de segurança e respeitar as boas práticas.

Causas óbvias

Apesar de esquecidas frequentemente, duas causas óbvias de não-funcionamento do motor são a ativação do interruptor de corte de corrente ou o fecho da torneira de combustível. Se forem estes os impedimentos, basta voltar a pôr o interruptor ou a torneira de combustível na posição adequada.

Outra causa comum que provoca que a mota não pegue é a falta combustível no depósito. Estas situações ocorrem, por vezes, devido a esquecimento do condutor ou a um indicador do nível de combustível comprometido. Para verificar diretamente a presença de combustível no depósito, pode ser conveniente mover lateralmente a mota enquanto se escuta pelo som do carburante em movimento. Em alternativa pode ser feita uma verificação visual do nível de combustível. Para tal, basta abrir a tampa do depósito. Deve ser tido em atenção que o combustível é facilmente inflamável. Aproximar fontes de ignição do depósito aberto é extremamente perigoso e de evitar. Caso o depósito esteja vazio, um reabastecimento soluciona o problema.

Por vezes, é um descanso lateral distendido que impede a mota de pegar. A condução de uma mota sem que o seu descanso lateral tenha sido previamente rebatido é perigoso. A fim de o prevenir, motociclos modernos dispõem de um interruptor corta-corrente junto do descanso. Noutros casos, sujidade e corrosão podem danificar esse interruptor corta-corrente. Então, a mota não arranca apesar de o descanso lateral estar rebatido. A limpeza, lubrificação ou substituição do interruptor podem ser úteis neste caso.

Sistema de ignição comprometido

Sistema de ignição comprometido

Problemas de arranque podem advir de um fusível fundido. Convém levar a cabo uma verificação cuidada dos mesmos, recorrendo ao manual do proprietário do veículo para mais informações.

Problemas de ignição estão também frequentemente relacionados com a bateria de arranque. Quando uma moto fica muito tempo parada e não que pegar posteriormente, pode ter ocorrido uma descarga total da bateria. O mesmo sucede quando a bateria não é mantida devidamente, quando atinge o seu fim de vida útil ou quando não está a ser carregada devidamente por causa de uma avaria no sistema gerador de energia. A exposição prolongada a temperaturas frias pode também comprometer o funcionamento da bateria. A forma mais fiável de testar o seu funcionamento é por meio de um multímetro. Em alternativa podem ligar-se consumidores e verificar se são alimentados com energia.

Se a moto em questão possuir pedal de arranque, como é comum em modelos mais antigos, o motor pode ser posto a funcionar por meio de uso deste. Motas sem catalisador podem ser postas a funcionar de empurrão, motas com injeção de combustível e catalisadores devem ser postas a funcionar por meio de cabos de arranque. 

Avarias num cachimbo de vela ou numa vela de ignição podem também impedir que a mota pegue. A fim de excluir estas causas, deve verificar-se visualmente se todos os cachimbos de vela estão devidamente colocados, se apresentam humidade, fissuras ou outros sinais óbvios de deterioração. Além disso, pode convir desmontar as velas para verificar se é gerada uma faísca e se há indícios de desgaste, como, por exemplo, elétrodos queimados.

Obviamente o impedimento pode também estar relacionado com uma avaria na bobina de ignição ou com a deterioração, o descarnamento ou o mau contacto de qualquer fio elétrico relevante. Deve ser feita uma verificação destas causas por meio de inspeção visual e de um multímetro.

Pode também convir uma verificação da fechadura de ignição. Quando consumidores como, por exemplo, os piscas não são alimentados com energia, apesar de a bateria ter carga e a chave estar na ignição, é possível que esse mesmo componente esteja comprometido. Isto pode ser verificado por meio de um multímetro.

Sistema de arranque comprometido 

É comum que o motor de combustão seja despoletado por um motor de arranque. Este motor elétrico é ligado por um relé no momento em que é pressionado o interruptor de ignição. Qualquer um destes componentes pode estar comprometido quando a moto não quer pegar na partida.

O relé deve ser verificado com um multímetro quando a moto não pega na partida e apenas se ouve um rangido estranho. O estado dos fios elétricos do circuito de arranque e o interruptor de ignição podem ser verificados visualmente (presença de ferrugem, fissuras ou quebras) ou por meio de um multímetro.

Em geral, a verificação da função do motor de arranque requer a sua desmontagem. A inspeção do componente é mais complexa e pode requerer, por exemplo, uma verificação das escovas ou do induzido.

Quando a moto não quer ligar, pode também haver uma avaria da embraiagem do motor de arranque. Este componente é responsável pela ligação entre o motor de arranque e o motor de combustão interna. Se esta embraiagem estiver danificada, o motor de arranque entra em funcionamento, enquanto que o motor de combustão fica parado. O movimento do motor de arranque pode vir acompanhado de sons metálicos estranhos neste caso

Alimentação de combustível e admissão de ar comprometida

Quando a moto não quer ligar apesar do sistema de arranque e de ignição estarem operacionais, pode ser sensato inspecionar o sistema de alimentação de combustível. Os componentes a verificar são a torneira, tubos e o filtro de combustível, bem como, caso presente, o carburador e a bomba de combustível. Os tubos, a torneira e o filtro de combustível devem permitir fluxo e o carburador deve estar limpo. 

Além disso, pode ser sensato verificar o dispositivo de arranque a frio. A alavanca do dispositivo deve ser deslocável ao longo de todo o seu curso com facilidade.

Por fim, pode tornar-se necessária uma inspeção do sistema de admissão de ar, nomeadamente do filtro de ar (entupimento). O filtro deve estar limpo.

Motor comprometido

Quando a moto não quer pegar, a causa pode por vezes também estar relacionada com uma falta de compressão da mistura de ar-combustível, o que impede a ignição. Isto pode advir, por exemplo, de uma junta da cabeça deteriorada, de válvulas comprometidas ou de um pistão furado. Pode ser feito um teste de compressão por meio de um dispositivo de medição de compressão.

Comentar

Your email address will not be published. Required fields are marked *